Saúde: Quais os benefícios do exercício para a saúde?

Comunidade

 

O exercício físico regular demonstrou um largo espetro de benefícios em saúde, sendo esta uma realidade comprovada e reconhecida por instituições médicas e não médicas.

 

Normalmente associamos os seus benefícios às doenças cardiovasculares, mas eles abrangem outras áreas. Quem pratica exercício morre menos de doenças cardiovasculares, de doenças respiratórias, de cancro, de diabetes, ou seja, a sua prática pode ajudar a diminuir a mortalidade das doenças que causam três quartos das mortes em todo o mundo.

A atividade física também pode reduzir os sintomas de depressão e ansiedade e melhorar o pensamento e a aprendizagem.

A mortalidade global de quem pratica exercício é menor quando comparada com aqueles que não o fazem.

Há hoje evidência de que o sedentarismo possa ser um preditor de mortalidade ainda mais forte do que os fatores de risco cardiovasculares já estabelecidos e de todos conhecidos, tais como o tabagismo, HTA, diabetes…

Vários estudos epidemiológicos mostraram que as pessoas sedentárias têm uma probabilidade de morte duas a três vezes superior quando comparados com a população que pratica exercício físico, independentemente do perfil de risco ou presença de doença cardiovascular.

Em termos relativos, está assim demonstrada uma diminuição de mortalidade entre os 30-40% numa população moderadamente ativa, e curiosamente parece que a maior redução da mortalidade e morbilidade ocorrerá no grupo de pessoas inativas que inicia a prática de exercício físico regular

O sedentarismo é assim um fator de risco modificável, como acontece com os outros fatores de risco cardiovascular, à exceção do genético, o que permite com ou sem intervenção médica, ser modificado, de modo a melhorar a qualidade de vida, a mortalidade e o aparecimento de doenças que podem ser prevenidas ou minimizadas com a sua prática.

Apesar de atualmente já passar a fazer parte do quotidiano das grandes cidades vermos pessoas a andar de bicicleta, a correr ou a fazer caminhadas, a prática de atividade física em Portugal está ainda muito além do desejado, com a agravante, que as camadas mais jovens, crianças e adolescentes, estão cada vez mais sedentários. É preciso que os estímulos e motivação para a prática de atividade física e exercício estejam mais presentes no seu dia a dia.

 

Dra. Maria Luísa Bento

Cardiologista

Sociedade Portuguesa de Cardiologia

 

Donativos LusoJornal