Saúde: Viva 2023, resoluções de Ano Novo

Comunidade

 

O ano de 2022 está prestes a terminar e todos desejamos que em 2023 domine a saúde, a paz e a prosperidade.

2022 foi definitivamente o ano em que regressamos à normalidade, depois de uma pandemia que nos trouxe tantos desafios. Mas 2022 foi também o ano da guerra e dos seus efeitos danosos, que aumentaram as dificuldades que ainda não tinham sido superadas.

Os especialistas indicam que 2023 será um ano de apertos e de provações. Todavia, não devemos deixar de pensar nos objetivos que não cumprimos em 2022, perceber o porquê, e traçar novos objetivos para o ano de 2023.

Esta é a fase do ano em que é saudável realizar uma retrospetiva do que aconteceu nos últimos 365 dias: o que podíamos ter feito melhor ou diferente, o que queríamos concretizar e não concretizámos.

Ao propormo-nos a traçar objetivos, a realizar experiências, estamos a elevar a possibilidade de nos distanciarmos de estados emocionais menos satisfatórios, do ponto de vista psicológico, e a sentirmo-nos mais motivados e com maior autoestima.

Ao assumirmos propósitos na vida, ao realizarmos balanços daquilo que atingimos, e ao refletirmos sobre os nossos erros, falhas e incapacidades, estamos dispostos a viver o dia-a-dia como uma nova possibilidade para a concretização de pequenas metas. Nesse sentido, manter uma rotina produtiva e definir objetivos sintoniza-nos com a nossa autoconfiança, empenho nas tarefas, e dedicação nas nossas causas e ações.

Muitas vezes, nem nos apercebemos que é ao longo dos meses do ano, que acabamos por concretizar as nossas resoluções de Ano Novo, nas metas que traçamos para os nossos dias, na forma como organizamos os fins de semana, como planeamos a nossa alimentação, como escolhemos as práticas desportivas e de lazer, enfim, fazemos escolhas e decisões a partir dos objetivos que estabelecemos, de forma consciente.

Os grandes objetivos vão-se definindo e cumprindo, nos pequenos objetivos do dia-a-dia. “O que é que eu fiz hoje para cumprir as minhas resoluções de Ano Novo? Estou mais próximo hoje de os concretizar do que estava ontem?”.

Ao delinearmos as resoluções de Ano Novo devemos deixar-nos guiar pelos nossos sonhos e ambições, mas não deixando de ser realistas, ou seja, é importante percebermos se reunimos os recursos para alcançar os nossos objetivos, caso contrário, podemos correr o risco de cair em desilusão ou frustração: “Eu percebo o que é que preciso para conseguir concretizar este meu objetivo?” Aqui a Psicoterapia pode ser útil quando sentimos que sozinhos não estamos a conseguir evoluir ou a sair de uma fase de vida negativa.

 

Dra Marta Calado

Psicóloga e psicoterapeuta

Clínica da Mente

 

Donativos LusoJornal