Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A Santa Casa da Misericórdia de Paris acaba de anular a 7ª edição deste ano da corrida «Correr para a Misericórdia», prevista para o próximo dia 21 de junho, para recolha de fundos para o funcionamento daquela instituição de solidariedade.

A Misericórdia de Paris já teve de cancelar o lançamento do livro «Jubileu da Santa Casa da Misericórdia de Paris», previsto no Salão Nobre do Consulado de Portugal em Paris no passado mês de março. “Neste momento, com o confinamento obrigatório de quase todos os elementos mais ativos da Santa Casa da Misericórdia de Paris, não temos meios suficientes para continuar com as atividades de maior proximidade com a segurança sanitária indispensável durante este período mais crítico” escreve numa nota enviada às redações, o Provedor António Fernandes, em nome do Conselho de Administração da instituição.

“Enquanto esta situação perdurar, a Santa Casa da Misericórdia de Paris pede a cada um dos seus membros para fazer o que seja possível, onde estiver, sem se esquecer de cuidar de si. Logo que nos possamos reunir, pensaremos em moldes de novos alicerces para reforçar as solidariedades e gostaríamos de continuar a poder beneficiar do vosso apoio” escreve António Fernandes.

A Santa Casa da Misericórdia de Paris, instituição na capital francesa que ajuda portugueses com dificuldades e dá apoio psicológico, celebrou 25 anos no ano passado. A instituição apoia a Comunidade portuguesa e não só, empenhando-se nas ajudas de primeira necessidade a quem tem mais dificuldades, com a distribuição semanal de alimentos, e atende todos os pedidos que lhe chegam através de uma linha telefónica permanente. Contempla, ainda, a possibilidade de encaminhamento para apoio psicológico e psiquiátrico.

A 7ª edição da Corrida solidária da Santa Casa da Misericórdia de Paris devia ter lugar, como habitualmente, no Parc du Domaine de la Cour Roland, em Jouy-en-Josas (78).

Rosa Mota voltou a ser, no ano passado, a madrinha deste evento de recolha de fundos, mas desconhecia-se ainda quem seria a personalidade do mundo desportivo a apadrinhar a corrida deste ano. Os participantes costumam ter várias possibilidades: 4 ou 8 km, a correr ou a andar. O importante era mesmo participar porque o evento servia para recolha de fundos para esta organização de apoio social aos mais carecidos.

 

LusoJornal Artigos
X