Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Empresas

 

O Diretor executivo da Fundação AEP, Paulo Dinis, disse à Lusa que a Rede Global da Diáspora lança amanhã, dia 28 de junho, duas novas ferramentas que servirão como “facilitador de exportações de Portugal para empresas da diáspora”.

“Queremos que sejam ferramentas de acesso fácil e que permitam alimentar os negócios com a diáspora, algo que não existia”, afirmou o responsável. “Se conseguirmos pôr portugueses a falar entre si, embora distantes geograficamente, já estamos a dar um bom contributo para acelerar o processo de internacionalização de algumas empresas portuguesas”.

O Portal de Negócios e a Diáspora Business Intelligence vão estar disponíveis sem custos aos empresários e investidores registados na Rede Global, uma plataforma promovida pela Fundação AEP com apoio do Portugal 2020. “Uma das nossas intenções é alargar a base exportadora e fazer chegar os produtos portugueses, muitos ligados ao agroalimentar, a todo o mundo”, indicou. “O processo de exportação torna-se facilitado com a diáspora”, continuou. “Queremos acentuar esta dimensão de que Portugal tem um canal facilitado de acesso à exportação através dos nossos compatriotas”.

Segundo explicou Paulo Dinis, o Portal de Negócios servirá para partilhar oportunidades de negócio envolvendo empresas da diáspora e empresas em território nacional, incluindo também informação relativa a programas de investimento, disponibilidade para investir ou necessidade de investimento de terceiros. “É um portal dirigido essencialmente ao diálogo económico com a diáspora portuguesa”, frisou o responsável.

Em paralelo, a base de dados da Diáspora Business Intelligence permitirá pesquisar entre 10.022 empresas identificadas em 154 países da diáspora e identificar potenciais parceiros de exportação. Contém também a informação pesquisável de 18.571 empresas portuguesas que já exportam.

“Uma empresa em Boston pode ter interesse em pesquisar empresas portuguesas que já exportam para os Estados Unidos e obter a informação aplicando o filtro de acordo com a área de interesse”, exemplificou Paulo Dinis.

O Diretor executivo explicou que as ferramentas foram desenvolvidas para responder a uma necessidade expressada pelos empresários portugueses. “Há muita dificuldade em conhecer a realidade da diáspora no sentido económico, saber quais são as empresas da diáspora tituladas por portugueses”, sublinhou. “É um trabalho que tem de ser feito de forma sistematizada e ao longo de um período temporal relativamente longo”.

Para Paulo Dinis, se as ferramentas ajudarem as empresas portuguesas a exportarem mais produtos ou a iniciarem a sua internacionalização, mesmo que com volumes pequenos, os objetivos serão atingidos.

A Rede Global da Diáspora é um projeto promovido pela Fundação AEP e apoiado pelo Portugal 2020, no âmbito do COMPETE 2020 – Sistema de Apoio às Ações Coletivas, cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

 

Donativos LusoJornal
X