Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A companhia aérea portuguesa, após um ano de 2018 complicado, decidiu reforçar os seus destinos em 2019 para conquistar terreno no céu.

Os mercados com maior destaque são Portugal, Brasil e os Estados Unidos. No entanto no quarto lugar encontra-se a França que conta nove destinos: Bordeaux, Lyon, Marseille, Nice, Nantes, Toulouse, Strasbourg, Mulhouse e Paris.

Miguel Frasquilho, Presidente da TAP, em entrevista ao LusoJornal, abordou as oportunidades do mercado e a estratégia da companhia portuguesa em França.

 

Com está a ligação entre a França e a TAP?

A ligação está boa com a França, aliás abrimos linhas novas para o território francês, numa base de voos diários. Para Paris já temos vários voos por dia. Estamos a aumentar a cadência de voos do Porto para vários destinos em França. Ainda este ano vamos juntar a ligação Porto-Lyon, é também uma boa novidade. A TAP está a crescer muito, quer nos voos continentais, voos para a Europa, ou voos para a América do Sul, a América do Norte e África.

 

2019 vai ser um ano de apostas?

Tivemos um ano de 2018 que foi difícil, como para muitas companhias aéreas, mas acho que o segredo é saber ultrapassar esses anos. Acho que estamos a conseguir dar a volta e vamos ter um ano de 2019 bastante positivo. Do ponto de vista operacional já temos tido desenvolvimentos positivos, muito interessantes. Hoje a nossa pontualidade não tem nada a ver com alguns períodos de 2018 que foi francamente má, aliás temos de pedir desculpa aos nossos passageiros, eu peço humildemente desculpa. Estamos a fazer tudo para inverter essa situação e já invertemos. Hoje a nossa pontualidade anda nos 80%-90%, que já é francamente aceitável. Estamos no nível de outras grandes companhias aéreas. Temos vindo a fazer o nosso trabalho, é o que os nossos passageiros esperam, e é isso que nós desejamos.

 

A aposta continuará forte em França?

A França é o quarto maior mercado para a TAP em termos de receitas. Primeiro temos Portugal ou Brasil, depende dos anos, e depois os Estados Unidos, antes da França. O mercado francês é o primeiro europeu, a seguir a Portugal, que é o nosso país. Então é um mercado onde a TAP aposta muito. Claro que França não é um país para onde vamos iniciar uma operação nova, nós já temos a nossa operação montada, mas vamos reforçá-la como já referi. Este mercado é muito interessante e a TAP aposta bastante nesle.

 

Como tem evoluído o mercado entre companhias como a TAP e as ‘Low-Cost’?

Se nós fizermos o nosso trabalho bem, de forma a que os nossos passageiros se sintam em casa num avião da TAP, acho que isso é fundamental, penso que vamos prosseguir esta trajetória positiva que temos vindo a fazer, com a presença quer do Estado português, quer de investidores privados. É uma combinação feliz e tem tudo para ser uma combinação vencedora.

 

Houve uma parceria com Fátima Lopes no seu desfile, no qual festejou 20 anos de presença em Paris?

A TAP é uma companhia de bandeira de referência de Portugal, que se está a afirmar cada vez mais na economia global, então faz todo o sentido a TAP, que é uma bandeira de Portugal, se associe a uma outra bandeira de Portugal que é a Fátima Lopes, que é uma bandeira da moda portuguesa e mundial, e que é cada vez mais conhecida no mundo. Foi um gosto enorme representar a TAP num evento como o desfile da Fátima Lopes em Paris.

 

Uma mensagem para os clientes da TAP ou possíveis futuros clientes?

Qualquer português que entre num avião TAP no estrangeiro, começa a sentir-se em casa. Aliás tenho recebido muito ‘feedback’ em relação a isso. É um gosto poder servir cada vez melhor os nossos clientes, como tem vindo a acontecer nos últimos meses penso eu, e como vai continuar a acontecer.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
6.9
X